O Grupo de Pesquisa Sexualidade e Escola (GESE) tem buscado, nas suas diversas atividades, problematizar as desigualdades de corpos, gêneros e sexuais, estimular o espírito investigativo, a curiosidade e a criatividade, valorizando o convívio social e o pluralismo. O grupo busca promover ações que visam a promoção de uma educação para a sexualidade em diferentes espaços sociais – escola, universidade, na mídia, – o combate ao sexismo, ao racismo, misoginia, a homo, trans e lesbofobia, entre outras manifestações de preconceito e discriminação.

            Frente aos discursos presentes nas escolas e em outras instituições sociais sobre os corpos, os gêneros e as sexualidades, consideramos importante refletir sobre essas temáticas na Educação Básica e Superior, de forma que possamos discutir e questionar os diversos discursos e práticas sobre algumas questões centrais, como as identidades, a diversidade sexual, a homofobia, as configurações familiares, os prazeres, os desejos, as infecções sexualmente transmissíveis, a Aids, os usos dos corpos. Ao longo de seu percurso, buscou através de suas ações investigar e questionar as assimetrias sociais em decorrência das configurações assumidas pelos gêneros, pelas classes, pelas raças/etnias e pelas identidades sexuais.

            Os estudos e pesquisas do grupo estão fundamentados no entendimento de que as sexualidades, as identidades e os gêneros são construções históricas, sociais e culturais articuladas com as dimensões de classe e de raça/etnia. Assim, suas configurações se constituem na correlação de elementos sociais presentes nas famílias, na medicina, na educação, na religião, nas políticas públicas, entre outros.

            O Grupo é composto por pesquisadoras/es, bolsistas de iniciação científica, mestrandas/os, doutorandas/os, pós-doutorandos/as e acadêmicos/as da Universidade Federal do Rio Grande – FURG e da Universidade Federal do Pampa – Unipampa – Campus Uruguaiana, como também por profissionais da Educação Básica do município do Rio Grande e de Uruguaiana. Também possui acordos de cooperação científica e acadêmica com instituições brasileiras e estrangeiras respectivamente: Universidade Federal de Uberlândia/MG e com a Escola Superior de Educação de Coimbra/Instituto Politécnico de Coimbra/PT, Universidade do Minho/PT e a Universidad de Castilla-La Mancha/ES.

            O grupo possui três linhas de pesquisa: “Corpo, gênero e sexualidade na perspectiva dos Estudos Culturais” (coordenada pela Profa. Dra. Paula Regina Costa Ribeiro) tem como objetivos investigar práticas relacionadas à sexualidade no espaço escolar e em outros espaços educativos na tentativa de compreender como as mesmas atuam na constituição das identidades de gênero e sexuais, das configurações familiares, dos prazeres, dos desejos, das IST/Aids...; a linha de pesquisa “Gênero e ciência nos espaços educativos” (coordenada pela Profa. Dra. Joanalira Corpes Magalhães) busca investigar a feminização e a masculinização no campo da ciência, evidenciando as relações sociais e de gênero em suas interfaces com outros marcadores sociais, tais como geração, classe, etnia-raça, bem como investigar as representações sobre ciência e as motivações de homens e mulheres que produzem ciência no contexto atual;  a  linha de pesquisa “Relações de gênero e feminismos na educação” (coordenada pela Profa. Dra. Graziela Rinaldi da Rosa) visa problematizar as epistemológicas feministas, fortalecendo os estudos de Gênero e feministas no campo da  Educação, bem como os estudos sobre as mulheres. No campo da Educação  busca-se trazer para a cena especialmente as histórias de mulheres, desvelando suas histórias de vida e seus protagonismos, ocultados historicamente. Acredita-se que os estudos feministas no campo da Educação pode contribuir para a descolonização do pensamento pedagógico numa perspectiva.

            Ao longo dos anos o GESE, publicou os seguintes livros: “Corpos, gêneros e sexualidade: questões possíveis para o currículo escolar – Caderno Pedagógico Anos Iniciais”; “Corpos, gêneros e sexualidade: questões possíveis para o currículo escolar – Caderno Pedagógico Anos Finais”; “Sexualidade e Escola: compartilhando saberes e experiências”; “Educação e sexualidade: identidades, famílias, diversidade sexual, prazeres, desejos, homofobia, AIDS...”; “Gênero e diversidade na escola: saberes em diálogo na educação a distância”, “Educação para a Sexualidade – Coleção Caderno Pedagógico da EAD”, “Atravessamentos de gênero, corpos e sexualidades: linguagens, apelos, desejos, possibilidades e desafios...” e “Debates contemporâneos sobre Educação para a sexualidade”. Também foram publicados livros de literatura infanto-juvenil denominados: “Sexualidade papo de criança na escola? Sim!!!”, “Teencontrei: onde a gurizada se encontra”, “Histórias de Maria: escola”, Histórias de Maria: famílias” e Histórias de Maria: infâncias”.

            O GESE, na busca de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão, além das pesquisas que mantém com o financiamento do CNPq e FAPERGS, apresenta como atividade de ensino, a disciplina Gêneros e sexualidades nos espaços educativos, de forma optativa, oferecida para todos os cursos da FURG. Suas atividades de extensão se configuraram com potentes espaços de interlocução com a comunidade, sendo elas: a Revista Diversidade e Educação, Projeto Escola Promotora da Igualdade se Gênero, Mostra Cultural sobre Diversidade Sexual e de Gênero e o Videocurso Educação para a Sexualidade. A Revista Diversidade e Educação revista é de divulgação científica (https://periodicos.furg.br/divedu), semestral, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciência. Publica artigos e relatos de experiências educativas nas temáticas de corpos, gêneros, sexualidades e relações étnico-raciais e tem como foco textos que tratem dessas temáticas no espaço escolar e em outros espaços educativos. O Projeto Escola Promotora da Igualdade de Gênero tem como objetivo apoiar escolas estaduais e municipais da Educação Básica do Rio Grande/RS que tenham interesse em desenvolver a promoção e a reflexão sobre a questão da igualdade e equidade dos gêneros com vistas à construção de alternativas que resultem na redução dos indicadores das desigualdades daí decorrentes, ao mesmo tempo, em que busca dar visibilidade ao tema. A Mostra Cultural sobre Diversidade Sexual e de Gênero visa contribuir com a promoção da equidade de gênero e a cidadania da população LGBT através da produção e difusão de informações importantes à comunidade sobre as questões relativas aos gêneros e às sexualidades e promover discussões acerca dessas questões para a minimização das representações e preconceitos atribuídos às mulheres e aos sujeitos LGBT. O  Videocurso Educação para a Sexualidade é ofertado em duas edições totalmente online e tem como objetivo contribuir para a formação de profissionais da educação, por meio de videoaulas que abordam temáticas de corpos, gêneros e sexualidades nas escolas e nos diversos espaços educativos.

 

Publicações:

 SCHWANTES, L.; HENNINIG, P.C.; RIBEIRO, P. R. C. Discurso sobre a Ciência na emergência histórica da “Rede Nacional de Educação e Ciência”. Revista EducaçÃo Em Questão (Online)  v. 55, p. 62 - 87, 2017.

AMARAL, C. A.; RIBEIRO, P. R. C. Juventude e intersexualidade: em foco o livro menino de ouro. Textura - ULBRA. , v.19, p.153 - 178, 2017.

SCHWANTES, L.; HENNINIG, P.C.; RIBEIRO, P. R. C. O contexto da emergência histórica da “Rede Nacional de Educação e Ciência: Novos Talentos da Rede Pública”. INTERACCOES. , v.13, p.65 - 85, 2017.

KORNATZKI, L.; RIBEIRO, P. R. C. Pedagogias culturais no seriado Modern Family. Momento. , v.26, p.44 - 58, 2017.

VARELA, C. M.; RIBEIRO, P. R. C.; MAGALHÃES, J. C. Questões de Gêneros na Escola: Potencialidades para Pensar uma Educação Menor. INTERMEIO (UFMS). , v. 23, p.15 - 37, 2017.

OLIVEIRA, L. R. ; MAGALHÃES, J. C. Esse é o Show da Luna: investigando gênero, ensino de ciências e pedagogias culturais. Domínios da Imagem, v. 11, p. 95-118, 2017.

RIZZA, Juliana Lapa; RIBEIRO, P. R. C.; MOTA, M. R. A. Disciplinas que discutem sexualidade nos currículos do Ensino Superior brasileiro: produzindo um diagnóstico da situação atual. Linhas (Florianópolis. Online), v.17, p.197 - 224, 2016.

MAGALHÃES, J. C.; CASEIRA, F.F. Enunciações de jovens cientistas: analisando a premiação - Para Mulheres na Ciência. Ensino em Re-vista, v. 23, p. 387-410, 2016.

RIBEIRO, P. R. C. Formação de educadores sexuais: adiar não é mais possível. Revista Brasileira de Sexualidade Humana. , v. 25, p.113 - 114, 2016.

RIBEIRO, P. R. C.; MAGALHAES, J. C.; RIZZA, J. L. Gêneros e sexualidades: estratégias para promoção de debates na formação de professores/as. MULTIárea. , v. 8, p.87 - 115, 2016.

SCHWANTES, L.; HENNINIG, P.C.; RIBEIRO, P. R. C. O discurso pedagógicos da ciência em operação na Rede Nacional de Educação e Ciência: Novos Talentos da Rede Pública (RNEC/NT). Ciência & Educação. , v. 22, p.809 - 828, 2016.

RIBEIRO, P. R. C.; MAGALHÃES, J. C.; SILVA, E. P. Q.; VILACA, T. O ensino de Biologia e suas articulações com as questões de corpos, gêneros e sexualidades. Bio-grafía: escritos sobre la biología y su enseñanza. , v.9, p.77 - 86, 2016.

ÁVILA, Darcia Amaro; RIBEIRO, P. R. C.; HENNINIG, P.C. “O gênero é fundamental para o desenvolvimento sustentável”: reflexões sobre a operação de dispositivos em programas globais e seus efeitos para a Educação Ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. v. 34, p. 95 - 119, 2016.

BARROS, S. C. ; RIBEIRO, P. R.C. O sexting e o dispositivo da sexualidade. Ensino em Revista, v. 23, p. 411 - 436, 2016.

LONGARAY, D. A.; RIBEIRO, P. R. C. Travestis e transexuais: corpos (trans)formados e produção da feminilidade. Revista de Estudos Feministas, v. 24, p. 761 - 784, 2016.

LONGARAY, D. A.; RIBEIRO, P. R. C. A (re)invenção de si no entrelaçar das enunciações de gays, travestis e transexuais. Revista Ibero- Americana de Estudos em Educação, v.10, p.1409 - 1430, 2015.

LONGARAY, D. A.; RIBEIRO, P. R. C. Espaços educativos e produção das subjetividades gays, travestis e transexuais. Revista Brasileira de Educação, v. 20, p.723 - 747, 2015.

MAGALHÃES, J. C.; RIBEIRO, P. R. C. Esquadrinhando corpos abjetos: as homossexualidades nas redes de enunciações cientificas. Educação e Pesquisa - Revista da Faculdade de Educação da USP, v.41, p.1553 - 1568, 2015.

SCHWANTES, L.; HENNINIG, P.C.; RIBEIRO, P. R. C. 'Fazer o desconhecido ser descoberto' Novos Talentos Da Rede Pública (RNEC/NT). Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências (Online), v.17, p.173 - 190, 2015.

ÁVILA, Darcia Amaro; RIBEIRO, P. R. C. Gênero e sexualidade na tribuna: narrativas de vereadoras do Rio Grande do Sul. Retratos da Escola, v. 9 , p. 167 - 177, 2015.

LONGARAY, D. A.; RIBEIRO, P. R. C. Gêneros e sexualidades nos espaços educativos: estratégias de enfrentamento à homofobia. Educação e Políticas em Debate, v.4, p.313 - 328, 2015.

ÁVILA, Darcia Amaro; RIBEIRO, P. R. C.O que esperar das mulheres na política? Uma análise da narrativa de vereadoras da região sul do Rio Grande do Sul. Revista Ártemis - Estudos de Gênero, Feminismo e Sexualidades, v. 19, p. 119 - 129, 2015.

BARROS, S. C.; RIBEIRO, P. R. C.; QUADRADO, Raquel Pereira. Sexting na Adolescência: problematizando seus efeitos no espaço escolar.. Perspectiva (UFSC), v. 33, p. 1185 - 1204, 2015.

CASEIRA, F. F. ; MAGALHÃES, J. C. Para mulheres na ciência?: uma análise do programa da L’Oréal. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 10, p. 1523-1544, 2015.

Dárcia Amaro Ávila. O gênero nas malhas discursivas do desenvolvimento sustentável: emergências, bio/ecopolíticas e dispositivos em ação. 2018. Tese (Educação Ambiental) - Universidade Federal do Rio Grande

 Juliana Lapa Rizza. A sexualidade no cenário do ensino superior: um estudo sobre as disciplinas nos cursos de graduação das universidades federais brasileiras. 2015. Tese (Educação Ambiental) - Universidade Federal do Rio Grande

Deise Azevedo Longaray. A (Re)Invenção de si: investigando a constituição de sujeitos/as gays, travestis e transexuais. 2014. Tese (Educação em Ciências: Química da Vida e da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande

Suzana da Conceição de Barros. Sexting na adolescência: análise da rede de enunciações produzida pela mídia. 2014. Tese (Educação em Ciências: Química da Vida e da Saúde) - Universidade Federal do Rio Grande

Fabiane Dionello Branco. Corpos intersexo: borrando fronteiras da norma binária. 2018. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências) - Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Natália Oliveira. Das narrativas de gêneros na escola: suscitando a educação menor no ensino de Ciências. 2018. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências) - Universidade Federal do Rio Grande – FURG.

Caroline Amaral Amaral. Literatura Juvenil Contemporânea LGBTI: significados sobre identidades de gênero e sexuais. 2017. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande – FURG.

Jordana da Rocha Bittencourt. O método pilates nas páginas dos jornais: saúde, consumo, boa forma, mulheres.... 2015. Dissertação (Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências) - Universidade Federal do Rio Grande – FURG.

Ariana Souza Cavalheiro. Gêneros e sexualidades no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: discutindo pedagogias culturais e estratégias de governamentalidade. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul. Orientador: Joanalira Corpes Magalhães.

Dárcia Amaro Ávila. “É preciso ter coragem”: Um estudo das narrativas de mulheres na política. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade Federal do Rio Grande.

Fabiani Figueiredo Caseira. O mundo precisa de ciência, a ciência precisa de mulheres: investigando a premiação para mulheres na ciência. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências) - Universidade Federal do Rio Grande.

 

Mais informações: 

 www.sexualidadeescola.furg.br

sexualidadeescola@furg.br

  www.seer.furg.br/divedu

 Grupo de Pesquisa Sexualidade e Escola