O grupo de pesquisa em Ecotoxicologia Terrestre é liderado pelo professor Flavio Manoel Rodrigues da Silva Júnior, e congrega pesquisadores e estudantes que vêm atuando desde 2008 na problemática da contaminação de solos, em diferentes regiões do estado do Rio Grande do Sul. A estratégia de trabalho está direcionada na avaliação de contaminantes orgânicos e inorgânicos em ecossistemas terrestres através de biomonitores e biomarcadores e tem recebido apoio financeiro (capital, custeio e bolsas de estudo) de diversos órgãos de fomento (CNPq, Fapergs, CAPES etc.). Os integrantes do grupo de pesquisa em Ecotoxicologia Terrestre têm reconhecida atuação na área de ecotoxicologia terrestre em nível nacional, através da participação em congressos e eventos na área e a publicação de artigos científicos em revistas especializadas. O grupo tem por objetivos a investigação da toxicidade de contaminantes presentes no solo utilizando diferentes modelos biológicos e a ampliação da rede de cooperação, atuando junto a outras instituições que trabalham com a mesma problemática. Para alcançar esses objetivos, o grupo desenvolve pesquisas em três diferentes linhas: Biomarcadores para uso em avaliação toxicológica de solos, Invertebrados terrestres e espécies vegetais em estudos ecotoxicológicos e Roedores silvestres como ferramentas de ecotoxicologia terrestre.

Figura 1.  Organismos utilizados em estudos de ecotoxicologia terrestre