O Núcleo de Estudos sobre Populações Costeiras e Saberes Tradicionais (NECO) foi criado em 2010 e é liderado pelos professores Gianpaolo Knoller Adomilli e Eliza Mara Lozano Costa, reunindo pesquisadores e estudantes de várias áreas do conhecimento,  com a proposta de possibilitar o avanço nas pesquisas em torno da temática sobre populações costeiras e saberes tradicionais. O núcleo concentra estudos sobre populações que apresentam vínculos com os campos litorâneos do Bioma Pampa.

Os objetivos do grupo são a realização de estudos etnográficos, teóricos e interdisciplinares sobre diferentes populações costeiras e seus saberes específicos, incluindo povos ameríndios, afrodescendentes e açorianos; divulgação das pesquisas realizadas em eventos e publicações científicas, blogs, exposições imagéticas e vídeos etnográficos; organização de eventos de porte local, nacional e internacional.

As linhas de pesquisa são Sociedade, Ambiente e Territorialização – estudo da relação sociedade-cultura-natureza com enfoque nas representações e práticas coletivas, envolvendo processos de (des/re)territorialização no âmbito de contextos políticos, históricos e sociais singulares. Análise e interpretação das expressões culturais e situações de conflito dos diferentes grupos; Móbile – Pesquisas envolvendo a articulação entre etnografia e mobilidade, compreendida tanto em escala urbana quanto regional. Ênfase nos modos suaves de deslocamento, particularmente centrados na persistência do caminhar, investigando o significado dessa prática no mundo contemporâneo; Redes e imagens costeiras – a partir das séries paradigmáticas cultura-natureza, universal-particular, imanente-transcendente, objetiva-se o estudo do imaginário, de paisagens, sociabilidades, formas de criatividade/inventividade e modos de vida das populações; Etnografias do conflito e relações de poder - Pesquisa sobre teorias e práticas das relações de poder e da política. Parentesco, poder local, redes sociais e suas relações com o Estado. Experiências de decisão e participação política sobre territórios e recursos comuns.

 

Mais informações: Espelho do Grupo

 
nupecof@furg.br